Improve the quality of life of children, adolescents and adults. Contact us →

DEZ RAZÕES POR QUE BATER CRIANÇAS DURANTE AS DISCIPLINAÇÕES É ERRADO

News & Blog

Os pais desempenham vários papéis ao longo da vida de seus filhos; eles são o cozinheiro, o motorista, o médico, o modelo, o professor, o companheiro de brincadeiras…etc. Talvez um dos papéis mais desafiadores que desempenham seja o de educador – aquele que implementa a disciplina.

Disciplinar uma criança não é fácil. Exige um alto nível de conhecimento, paciência e comprometimento. O compromisso mais importante e desafiador que um pai faz é aquele que os pais informados assumem contra a violência. Estudos mostraram que a violência cria crianças agressivas e não leva a lugar algum. Esta é apenas uma razão pela qual bater não é a resposta. Aqui estão mais dez: não funciona. As crianças muitas vezes esquecem por que estão sendo punidas e agredidas. Eles tendem a se concentrar na dor física e não na lição aprendida. ensina agressividade. As crianças são grandes mímicas. Eles observam seus pais em busca de pistas; então eles imitam o comportamento.

A palmada ensina-lhes que bater é aceitável porque os pais são frequentemente vistos como modelos. Inúmeros estudos mostraram que quanto mais uma criança é agredida, maior a probabilidade de ela se tornar uma pessoa hostil e usar o comportamento agressivo como forma de expressar suas necessidades. produz medo. Muitas crianças que são atingidas aprenderão a temer o pai em vez de ver a mãe ou o pai como objeto de respeito, cuidado ou segurança.

Esse medo abala a confiança que as crianças têm em relação aos pais e as faz recorrer a comportamentos de retraimento. gera raiva. Toda criança espancada sentirá que está sendo tratada com injustiça. O sentimento de injustiça geralmente se transforma rapidamente em raiva. Do lado de fora, eles parecem complacentes; mas por dentro, eles estão abrigando raiva, uma raiva que ameaça seu bem-estar e seus relacionamentos presentes e futuros.

Diminui a auto-estima. As crianças usam a percepção que seus pais têm delas como sua autoimagem; eles se amam se seus pais os amam, e se desvalorizam se não são amados. Quando uma criança é atingida, ela imediatamente pensa que não é amada ou querida, que é fraca e impotente e que é uma pessoa má! Isso corrói sua auto-estima. faz com que os pais percam de vista as alternativas.

Uma vez que um pai começa a bater, é fácil esquecer as outras alternativas. Há muitas maneiras de disciplinar uma criança, todas muito mais eficazes do que bater. A próxima edição de “As pessoas nascem para brilhar” terá um artigo especial sobre “Como disciplinar seu filho sem violência”. Não perca a edição de abril! pode levar ao abuso.

Os pais se acostumarão rapidamente com as palmadas, mesmo que sejam consideradas superficiais. No entanto, com o tempo a palmada se torna “abuso” e os pais muitas vezes acabam cruzando a linha sem perceber que a criança pode ficar marcada para a vida toda. também magoa os pais. Muitos pais não gostam de bater. Eles não se sentem bem com isso como uma forma de disciplina. Depois de bater em seus filhos, eles se sentem culpados. Eles também se sentem impotentes porque bater não funciona. pode apagar memórias de infância felizes. Muitos pais trabalham duro para construir memórias de infância felizes. A dor da surra pode facilmente substituir esses bons pensamentos. enfraquece a relação pai-filho.

A palmada constrói um muro entre pai e filho. As crianças admiram seus pais e esperam se sentir seguras, amadas e queridas. O medo fará com que as crianças percam o respeito pelos pais. Quanto mais tempo as crianças são espancadas, menos respeito elas constroem por seus pais e mais problemas comportamentais serão encontrados no futuro.

Por: Caron Goode

Fonte: inspiredparenting.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *